Sabia que ...

Sabia que ...

Super Chinetti em Le Mans
Vitória na estreia.


Em 1949, no ano da estreia da Ferrari em Le Mans, Luigi Chinetti garantiu a vitoria ao volante de um 166 MM. Conduziu durante 23 horas e meia, algo que hoje seria impossível.

Depois de 10 anos de interrupção, devido à II Guerra Mundial, as 24 Horas de Le Mans conheceram a sua 17ª, edição em 1949, onde alinharam automóveis produzidos antes e depois do conflito. Entre eles estavam dois Ferrari 166 MM, que a marca produziu (cerca de 80 unidades) entre 1948 e 1953.

Um destes chassis, o 0008M, era propriedade de Peter Mitchell-Thompson, Lord Selsdon, que formou equipa com Luigi Chinetti (1901 - 1994) , vencedor da prova em 1932 e 1934 com aAlfa Romeo. Este tinha regressado dos EUA, para onde fugira dos fascistas itaiianos, tendo-se naturalizado americano.

Era um velho conhecido de Enzo Ferrari: «Luigi Chinetti esteve na Alfa quando eu também lá estava. Era um bom preparador óptimo nos testes e um piloto de valor nas provas de longa distância», como referiu o Commendatore no seu livro «Piloti, Che Gente» (Conti Editore, 1985).

À partida, Chinetti, com o seu barrete de couro e óculos de aviador da I Grande Guerra, era a imagem da confiança. Não se impressionou com os Delage 3.0 litros e os Delahaye de 3500 cc, que contrastavam com o seu pequeno 166 MM, com apenas 3,65 metros de comprimento e 760 kg de peso, pois sabia que podia ser mais rápido, graças ao motor V12 de 2.0 litros com uma potência que variava entre 105 cv e mais de 125 cv de acordo com a regulação dos seus três carburadores.

Ao fim de nove horas de prova ocupava o primeiro lugar, posição que manteve até ao final da corrida. Percorreu 3178,299 km, à média de 132,420 km/h. Foi um esforço sobrehumano, que exigiu toda a perícia do piloto, que se debateu com graves problemas de embraiagem desde muito cedo. Lord Selsdon apenas cumpriu algumas voltas durante a madrugada de domingo, o que demonstra a proeza de Chinetti.

Este sucesso, que se repetiu iogo depois, nas 24 Horas de Spa, deu-lhe grande notoriedade nos EUA, onde se tornou o importador oficial da Ferrari, instalando-se na West 55th Street, em Manhattan. Foi aí que começou por vender alguns 166 MM, que custavam cerca de 10 mil dólares (uma exorbitância), antes de se tornar o responsável por grande parte das vendas da Ferrari nos EUA durante as décadas seguintes.



Facebook