Sabia que ...

Sabia que ...

Marcos Mantis XP de 1968


Concebido por Jem Marsh, piloto e co-fundador da marca, este futurista XP apresentava um desenho optimizado para a longa recta de Mulsanne. E diferente de tudo o que era norma em 1968.
No entanto, não deixava de ter em atenção a tradição: como bom Marcos que era, mantinha a construção do chassis em madeira, ao qual se juntaram suspensões de F1 adquiridas a John Cooper e um motor de 3 litros Repco V8 de 350 cv adquirido a Jack Brabham (o desejado BRM V12 que Marsh pretendia estava fora do orçamento).
Este carro apenas correu nos 1000 km de SPA de 1968, desistindo ao fim de 13 voltas. Depois Marsh decidiu mudar o motor, mas o carro não esteve pronto a tempo de Le Mans (que nesse ano se realizou em Setembro). Foi então decidido transformar o carro para rodar na estrada. No entanto, um valor muito elevado de taxas pedido pelas autoridades britânicas, levou a que o carro fosse exportado para os EUA, onde foi vendido no salão de Los Angeles de 1970, a um entusiasta chamado Tom Morris, devidamente adaptado para circular na rua. O carro não voltaria a competir e ainda hoje pertence à família Morris.
Michel Hubin, no seu livro "Championnat du Monde 1968" refere que "de frente, este protótipo evoca um Spitfire da Batalha de Inglaterra e de lado uma auto-metralhadora rebaixada".
E posto assim, que mais poderemos acrescentar?


Ricardo Grilo

Sportscar Portugal

Facebook