Jean Rondeau - uma breve história

Jean Rondeau - uma breve história


Tinha eu os meus 11 anos concluídos quando li na extinta AutoMundo que um piloto tinha construído de forma artesanal um carro e que com ele tinha vencido as 24 Horas de Le Mans sob um grande dilúvio. Surgiu assim um piloto que muito admirei. Jean Rondeau.


Nascido a 13 de Maio de 1946 e natural de Le Mans, Rondeau assiste às suas primeiras 24 Horas com 3 anos, quando o seu pai o leva a ver a primeira edição do pós-Guerra. Aos 8 anos começa a competir, participando aos 10 no "Critérium du Jeune Pilote" uma prova organizada pelo ACO.

Em 1968 surgem os primeiros resultados nas corridas de Turismos e de Sport, no troféu Alpine, ao volante de um Renault 8 Gordini termina em 12º no ano de estreia, passando depois para as provas de Montanha ao volante de um Renault Alpine. Vence 12 provas e mais 5 em corridas de Sport. Em 1972 estreia-se nas "suas" 24 Horas de Le Mans ao volante de um Chevron B21 Ford na categoria Sport 2 litros com Brian Robinson tendo obtido nos treinos o melhor tempo da classe e abandonando na corrida. Dois anos depois participa ao volante de um Porsche 908/02 de Sport 3 litros com Christian Poirot tendo sido 19º da geral. Em 1975 regressa com o Mazda RX-3 de Claude Bouchet no qual foi 8º da geral, por ironia, Poirot no Porsche consegue ser 3º da geral...

O passo seguinte seria tornar-se piloto-construtor, decide então e ainda em 1975 construir o seu próprio protótipo. A França estava desejosa de ter uma "Equipe de France" totalmente francesa, (findo o projecto Matra que obteve 3 vitória consecutivas de 1972 a 1974), surgem assim 3 projectos, o WM de Gérard Welter que utilizaria os motores PRV (Peugeot-Renault-Volvo) V6 de 2.7L, a Renault Sport com chassis Alpine e motores Renault 2 litros turbo e o de Rondeau com os mais fiáveis Ford Cosworth V8 DFV já com provas dadas na Fórmula 1. Rondeau com um conjunto de amigos constroem na sua casa 2 protótipos em 5 meses!!! O seu projecto não foi bem aceite por não ser patriótico, restava a Rondeau assinar contrato com a Inaltera, uma multinacional de papel que assumiria o nome do protótipo, mas para espanto de todos conseguia ter como pilotos Henri Pescarolo então com 3 vitórias (1972, 73 e 74) bem como Jean-Pierre Beltoise. Mas em 1976 a TF1, cadeia televisiva que transmitia a prova, ordena aos comentadores para que não mencionem o nome do carro de Rondeau. Mas os resultados desta aventura foram um 8º lugar à geral e 1º nos GTP para Henri Pescarolo/J-P. Beltoise e o 21º e 3º nos GTP para Christine Beckers/J-P.Jaussaud e Jean Rondeau enquanto o WM e os Alpine Renault abandonavam.

Em 1977 o próprio Rondeau obtém um 4º lugar à geral com a vitória nos GTP com Jean Ragnotti, tendo os 3 protótipos inscritos concluído a prova (4º, 11º e 13º) enquanto dos 2 WM um chegaria em 15º e o outro abandonava, enquanto todos os Alpine Renault também abandonavam. Em 1978, ano da única vitória da Renault Sport com Didier Pironi e Jean-Pierre Jaussaud, surgia o nome de Rondeau como construtor, quando a Inaltera lhe retirava o apoio e este conseguia nova vitória na classe GTP (9º da geral). Entretanto Rondeau apresentava o estudo de um protótipo inspirado no Tyrrel P34 de Fórmula 1, também ele com 6 rodas.

Para 1979 conta de novo com o apoio de Pescarolo e Beltoise. Pela primeira vez são inscritos na classe principal, 2 em Grupo 6 (onde Bernard Darniche e Jean Ragnoti vencem com um 5º lugar da geral) e 1 nos GTP do próprio Rondeau que abandona.

1980 foi o ano da glória, 3 Rondeau são inscritos, mais uma vez 2 em Grupo 6 e 1 nos GTP. Debaixo de um dilúvio enorme e dos problemas que afectaram o Porsche 908/80 de Jacky Ickx, Jean Rondeau e J-P.Jaussaud conseguem a tão almejada vitória. Nos GTP a vitória coube ao único Rondeau inscrito o dos irmãos Martin e Gordon Spice. Entretanto Rondeau conseguiria também a vitória no Índice de Rendimento Energético. Melhor não podia ser...

No ano seguinte as coisas correram pelo pior, quando Jean-Louis Lafosse perdia a vida num acidente durante a neutralização da corrida devido ao acidente de Thierry Boutsen, enquanto os segundo e terceiro lugares da geral seriam pertença da Rondeau, o que corresponderam aos 1 e 2 lugares dos GTP.

Apesar de tudo, os resultados surpreenderam pela positiva, e Rondeau consegue os patrocínios suficientes para participar a tempo inteiro no Campeonato Mundial de Sport ("World Sportscar Championship") em 1982 onde ganha a primeira prova, os 1000km de Monza, tendo sido vice-campeão. Para Le Mans dos 6 carros inscritos 2 chegaram ao fim e o melhor não ia além do 10º posto da geral e 5º dos novos Grupo C através de Pierre Iver, Lucien Guitteny e Bruno Sotty.

Apesar do sucesso, em 1983 a Rondeau obtém o apoio da Ford France, não participando no Campeonato Mundial de Sport, apostando em força em Le Mans com 3 protótipos M482 e mais dois privados. Foi um desastre total, o único Rondeau a terminar a prova seria o de Pascal Witmeur/Jean-Paul Libert/Daniel Herregods, o penúltimo...

Depois deste desastre, a Ford France retira o apoio a Rondeau, que o deixa numa situação financeira muito delicada, valeu-lhe a Ford ter-lhe solicitado a construção de monolugares de Fórmula Ford para 1984 e 1985. Sem apoios, a única opção para regressar a Le Mans seria o convite de Preston Henn para pilotar o Porsche 956, no qual é segundo da geral a 2 voltas. 2 Rondeau terminariam 11º e 13º.

O final da aventura seria em 1985. Rondeau participava de novo com um WM (!!!) na companhia de Michel Pignard e Jean-Daniel Raulet tendo sido 17º da geral e 13º dos Grupo C. Dos seus carros, só um termina, o de Bruno Sotty/Jean-Claude Justice e Patrick Oudet, 18º da geral. A Ford termina a parceria na construção dos Fórmula Ford.

A 27 de Dezembro de 1985, Jean Rondeau seria atraiçoado por uma cancela de passagem de nível que se abriu para dar passagem a uma ambulãncia, Rondeau não se apercebeu da situação e aproveitou a boleia da ambulância, foi colhido por um comboio expresso tendo morte imediata. Com o piloto morreram também 2 novos projectos seus, a mudança para o campeonato IMSA americano, ou a construção de um Rondeau de Fórmula 1.


© AutoSport Portugal



© Autor desconhecido caso conheça pf contacte
Sport Auto Nº2 (1986)



© Autor desconhecido caso conheça pf contacte



© Autor desconhecido caso conheça pf contacte



© Autor desconhecido caso conheça pf contacte



© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1976
Cedido por Planeta de Agostini


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1980
© Paul Kooyman


1980
© Paul Kooyman


1980
© Paul Kooyman


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte
Sport Auto Nº2 (1986)


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1980
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1980
Cedido por Planeta de Agostini


1980
Cedido por Planeta de Agostini


1981
© Michel Faust


1981
Arquivo Jorge Curvelo
L'Automobile


1982
Arquivo Jorge Curvelo


1982
© Turbo


1982
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte
AutoSprint Nº25


1982
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte
AutoSprint Nº25


1982
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte
Rombo


1983
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1983
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


1984
© Autor desconhecido caso conheça pf contacte


Facebook