Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1995  1997 

Nesse ano de 1996, as 24 Horas de Le Mans apresentaram um belo cartaz. E se o resultado não foi muito original com a quadragésima vitória da Porsche, esta coube mais uma vez a uma equipa privada.
 

Na lista dos inscritos, encontravam-se pilotos de tão grande talento que se torna difícil citá-los a todos. Antigos vencedores da prova, outros calejados na Fórmula 1, jovens lobos de caninos afiados e veteranos experientes difíceis de acompanhar durante duas voltas de relógio. Era um disparate tentar prognosticar um vencedor. Deve-se, no entanto, prestar homenagem a Bob Wollek que, desde 1968. data da sua estreia em La Sarthe ao volante de um Alpine A210, acabava regularmente no top ten... ou abandonava. De 1974 a 2000, nunca faltou a uma edição e 1996 poderia muito bem ser o ano da sua consagração. Mas. mais uma vez, a sorte não o acompanhou, pois o Porsche GT1 oficial terminou a apenas uma volta do TWR da Joest Racing. A Courage, que pôde contar com três tripulações tão eficazes quanto experientes, com os «velhos» Henri Pescarolo, Mario Andretti, Derek Warwick e Jan Lammers, todos acompanhados por jovens muito rápidos, sentiu algumas dificuldades A Porsche manteve os seus hábitos e fez uma razia nas classificações. Não satisfeita com a vitoria na classificação geral com o team Joest, que ganhou pela terceira vez e sempre com o n.º 7, acrescentou-lhe uma dobradinha na categoria GT1 com os carros oficiais e também ganhou em GT2 graças à Roock Racing e à Parr Motorsport. O austríaco Alexander Wurz, por seu lado, tornou-se. aos 22 anos, o mais jovem vencedor da prova de La Sarthe (nunca tinha vindo a Le Mans e só regressaria em 2008). Por outro lado, no ano seguinte, nenhum dos pilotos estariam presentes, mas o carro e a equipa deixariam a sua marca na prova de uma maneira bastante singular.

Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook