Notas Soltas

Notas Soltas

 1982  1984 

- Jean Ragnotti não teve sorte este ano em Le Mans. O piloto de ralis queria tomar parte na corrida mas a Renault proibiu-o de ocupar o volante de um dos Rondeau, visto estes serem patrocinados pela Ford.
Depois surgiu a hipótese do piloto dispor do lugar de Lammers ao volante do Porsche Canon, mas ainda mal refeito de um ataque de varicela, Lammers apresentou-se em Le Mans, deixando Ragnotti como espectador.
AutoSport (Portugal)


- Os pneus DENLOC, que a Dunlop tem vindo a fornecer à Porsche para esta desenvolver, foram apresentados oficialmente em Le Mans sob a designação Dunlop TD.
Este pneu que a Porsche utiliza desde 1982 é definido como um pneu antifuro e foi construído pelo fabricante britânico em colaboração com a Michelin. Utiliza uma jante especial como os TRX, que impede que o pneu saia da jante em qualquer circunstância por mais extrema que seja.
AutoSport (Portugal)


- A ignição do carro de Ickx/Bell tirou a possibilidade da equipa voltar a vencer, uma vez que motivou uma paragem de 20 minutos, numa altura em que Bell estava a recuperar terreno em relação ao primeiro classificado.
Para o engenheiro Bott, da Porsche, o problema pode ser facilmente resolvido para o futuro: «Para a próxima montamos duas ignições e o piloto só terá que a ligar caso surjam problemas...»
AutoSport (Portugal)


- No LUNA-PARK há de tudo para todos os gostos. Desde os carroceis à famosa grande-roda passando pelas barracas de tirinhos, como na feira popular, aos «comboios fantasmas».
Mas os mais ousados podem igualmente observar espectáculos de strip-tease para variar um pouco o ambiente da corrida.
AutoSport (Portugal)


- O Tenis faz parte do calendário da semana de Le Mans. Anualmente existe um torneio aberto aos pilotos e aos jornalistas. Depois das inscrições o favoritismo recaia em Derek Bell. No entanto, o britânico não participou com receio de sofrer alguma luxação que comprometesse a sua participação ao lado de Ickx.
Assim, afastado o favoritismo, Ballot-Lena veio a sagrar-se vencedor desta prova que tem a sua final na sexta-feira, o dia de descanso em Le Mans.
AutoSport (Portugal)


- A Praça Luigi Chinetti passa a fazer parte do roteiro da vila das 24 Horas, numa recordação ao vencedor da prova em 1949 que ao longo dos anos tem inscrito os Ferrari americanos, da equipa NART, na prova europeia.
Este ano, um desentendimento com a Ferrari impediu Chinetti de apresentar um 512 de Grupo C, como havia sido previsto. No entanto, o americano prometeu que para o ano estará de novo presente com dois Ferrari...
AutoSport (Portugal)


- Walter Brun não chegou a participar nas 24 Horas de Le Mans, pois o casamento do jovem motor Porsche 956 com o velho chassis Sauber não permitiu. Assim, o milionário suiço está preparado para aderir à moda Porsche pretendendo para tal comprar um 956.
AutoSport (Portugal)


- Cosworth fiavel, parece ter sido a aposta de Jean Rondeau ao preferir os motores atmosféricos apesar de lhe ter sido proposto um motor de 3,9 litros equipado com turbo-compressor que poderia debitar cerca de 900 cv.
«Não quis o motor turbo por uma questão de fiabilidade» afirmou Jean Rondeau que terá feito a sua opção convencido de que os motores atmosféricos da Cosworth estavam este ano mais resistentes do que em 1982.
O tempo demonstrou que foi um erro pois, assim, nem nos treinos, os carros franceses puderam dar um ar da sua graça.
AutoSport (Portugal)


- A Lancia apagou o nome da Martini da sua licença desportiva, pois um carro que se chama Lancia-Martini não pode somar pontos com os pontos adquiridos pela Lancia.
Como os Sivama pontuam como Lancia, a equipa oficial resolveu unir esforços e beneficiar dos resultados dos conjuntos privados. Não digam que os directores desportivos não pensam...
AutoSport (Portugal)


- Ballot-Lena é o recordista das participações em Le Mans. O piloto françês cumpriu este ano a sua 17ª presença no circuito onde por nove vezes chegou ao final.
AutoSport (Portugal)


- Os Rondeau oficiais estiveram em Le Mans graças ao apoio da associação de concessionários da Ford França.
270 concessionários deram 18 francos (cerca de 280 escudos-1.4 €) por cada carro vendido ao longo do ano. Em França, a Ford vendeu em 1982, 132 mil veículos o que deu a Rondeau o «budget» para esta operação.
AutoSport (Portugal)


- «As pesagens», ou se preferirem as verificações técnicas são extremamente minuciosas em Le Mans. Cada carro passa por um percurso onde é levado para ser medido por baixo, onde é comprovada a capacidade dos depósitos, onde é «espiolhado» por tudo quanto é sítio.
O rigor é tanto que, mesmo os carros oficiais da Porsche e da Lancia, foram dados como «irregulares» e tiveram de alterar alguns pormenores.
Recorde-se que antes, os mesmos carros já haviam disputado três provas sem terem sofrido qualquer reparo. Mas em Le Mans nada escapa...
Depois de terminada a «curiosidade» dos comissários, nem mesmo escapam às objectivas de uma multidão de fotógrafos.
AutoSport (Portugal)


- A Citroën inaugurou em Le Mans uma escola de condução em terra graças ao apoio do Automobile Clube de L'Ouest que contava já com escolas de condução em pista e para motos.
Situado em «Maison-Blanche», a pista que irá receber os Visa GT, oferece seis percursos diferentes. Neste momento estão a ser removidos 5 mil metros cúbicos de terra para a sua construção.
AutoSport (Portugal)


- Ickx viria a afirmar no final da corrida: «A minha missão consiste em conduzir o melhor que posso e sei, o Porsche que me confiam e, ao mesmo tempo, tentar ganhar. Não ganhei e creio que isso não é tão importante como parecem querer fazer parecer» - justificava o piloto belga.
«Para mim os adversários eram os Lancia, os Rondeau, Wollek, Mass e Holbert, tentei sempre vencer embora sempre tivesse afirmado que seria muito difícil.» - acrescentava Ickx com o seu tradicional «fair-play» de grande desportista...
AutoSport (Portugal)


- Mal encarado, Mass não gostou da sua classificação. O alemão há muito que persegue um êxito em Le Mans e a prova cheia de problemas do carro que partilhava com Bellof voltou a impedir a concretização desse sonho.
O desalento era patente na cara de Mass que evitava os jornalistas escusando-se a qualquer comentário. Pressionado veio a referir: «Não posso estar satisfeito. Só estou satisfeito quando ganho.»
AutoSport (Portugal)


- Jacky Ickx pulverizou o record da melhor volta nos treinos, que por sinal já era seu e fora obtido em 1982, utilizando um motor e pneus de qualificação e com o turbo com uma pressão elevada.



- Bob Wollek tinha acabado de ser submetido a uma intervenção cirúrgica a uma hérnia discal e recebera alta hospitalar apenas na segunda-feira, mas tivera que regressar a Paris no dia seguinte, em virtude da eclosão de problemas pós-operatórios. Quarta-feira, quando estava prestes a expirar o prazo limite para a apresentação dos pilotos, Wollek lá apareceu para tomar parte nos treinos, mas as fortes dores de cabeça que o acompanhavam obrigaram a que lhe fosse colocado um gorro por onde circulava água fria, o que fazia parte de um aparelho de refrigeração que viria também a ser utilizado por Stefan Johansson.
Para precaver uma possível recaída daquele que era o líder do campeonato do Mundo, a escuderia SORGA conseguiu assegurar os serviços do alemão Klaus Ludwig, piloto que estava ligado contratualmente à Ford, mas que se encontrava sem um verdadeiro programa de provas desde que a Ford decidiu retirar os C-100 das competições.



- A partida para o lançamento desta 51ª edição das 24 Horas de Le Mans teve um sabor «retro» com os carros, 51 na 51ª edição, alinhados em espinha na recta da meta, mesmo em frente à bancada principal. Como nos velhos tempos...
Pouco depois já em formação «2 a 2», segundo o escalonamento de uma normal grelha de partida já só ficaram 50 os carros que seguiram o «Pace Car» (um bonito Mercedes 500 SLC azul) ao longo dos 13 quilómetros do percurso antes de partirem lançados na recta da meta, imediatamente a seguir à saída de pista do carro da organização. E dizemos que já só foram 50 pois mesmo com a decisão em não alinhar do Porsche SHS nº 37 (devido ao carro ter ficado pronto muito tarde e não se encontrar em condições) deveriam ser 51 à partida. A razão está em que o Peugeot-WM de Dorchy/Couderc/Fabre teve que ser retirado da grelha para as boxes em consequência de uma fuga de óleo.
Motor


Facebook