Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1972  1974 

Com quatro carros inscritos, a Matra contava mais do que nunca fazer brilhar as cores da França contratando apenas pilotos «azul, branco e vermelho>. Mas a Ferrari só baixou os braços no fim desta corrida rica em acontecimentos.
 

Se fosse necessário relembrar apenas um acontecimento de Le Mans de 1972,1973 e 1974, ou seja, os anos Matra, não falaríamos da imagem, mas da música fabulosamente envolvente do motor V12 saído da Fórmula 1. Mais de trinta anos depois, a lembrança, para aqueles que tiveram a sorte de escutar esse canto divino, permanece omnipresente.

A Ferrari sabia que tinha de se esforçar para contrariar a firma francesa que corria em casa, se bem que os três 312 P/B se encontrassem nas mãos de tripulações muito rápidas formadas por Jacky lckx/Brian Redman, Carlos Reutemann//Tim Schenken e Carlos Pace/Arturo Merzario. A estes últimos, depois da sua pole position em 3:37.5, calhou-lhes o papel de lebres para estafar os Matra e dar a possibilidade ao nº 15 de lckx/Redman de acabar em beleza. Mas os duos franceses tinham um comportamento excelente com nada menos que Beltoise/Cevert, Pescarolo//Larrousse, Jaussaud/JabouiIle e Wollek/DepaiIler. O Ferrari de Pace/Merzario imprimiu logo à partida um ritmo infernal, mas depressa se viu obrigado a abrandar por causa de uma fuga de combustÍvel que o atrasou cerca de meia hora. O jogo das cadeiras começou nesse momento. Foram os Matra que se encarregaram de executar algumas escapadelas sucessivas. O nº 12 de Jaussaud foi o primeiro a sofrer um embate antes do nº 10 de Beltoise sofrer da mesma sorte por duas vezes seguidas. A segunda vez obrigou-os a abandonar. O nº 14 de Depailler/Wollek rendeu-se com uma fuga de óleo, e o nº 12, muito atrasado com um pneu oscilante na Hunaudières, teve de se esforçar para continuar a merecer a classificação. E isso fez-se à custa de trocas espectaculares, passando do 17º para o 3º lugar no fim da corrida. Mas a Ferrari também teve os seus problemas pois o 312 PB de Ickx/Redman deu cabo do motor perto da meta, e o de Pace perdeu cerca de quarenta minutos por causa da embraiagem. No domingo de manhã, as paragens foram muitas: Redman bateu e foi obrigado a reparar a carroçaria, Pescarolo teve problemas nos travões, Merzario parou para arranjar uma fuga no depósito, Larrousse não pôde partilhar depressa das boxes por causa de um motor de arranque falível, mas conseguiu conservar um avanço suficiente em relação ao Ferrari. Com muito esforço, a equipa de Vélizy venceu, pela segunda vez consecutiva, as 24 Horas de Le Mans e ainda colocou dois carros no pódio.


Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook