Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1961  1963 

Há dois anos que a Femari dominava no circuito de La Sarthe. Em 1962, a «Scuderia» venceu pela terceira vez, e também o piloto belga Olivier Gendebien que conseguiu a sua terceira VITÓRIA CONSECUTIVA.
 

Como Wolf Barnato (1928,1929 e 1930), Jacky lckx (1975, 1976 e 1977) ou Emanuele Pirro (2000, 2001 e 2002), Olivier Gendebien conseguiu a façanha de acabar em três anos consecutivos no primeiro lugar do pódio das 24 Horas de Le Mans. É verdade que o Ferrari 330 LM oficial com um motor V12 de 4 litros de cilindrada tinha poucos rivais. Também concorriam sete Ferrari 250 GTO especialmente concebidos para competir a partir do Ferrari GT de série (O de omologato, homologado), mas a sua cilindrada era 25 por cento inferior (ou seja, de 3 litros). A desvantagem era evidente, apesar de todos poderem atingir os 300 km/h de velocidade de ponta. No entanto, tanto os MaseratiTipo 151 de Briggs Cunningham como o inscrito pela Maserati France com Maurice Trintignant e Lucien Bianchi ao volante lhes poderiam estragar a festa, e o mesmo se podia dizer do Aston Martin DP 212 de Graham Hill e Richie Gingher. No entanto, não só Phill Hill e Olivier Gendebien depressa os mantiveram à distância, como nenhum deles conseguiu chegar ao fim. Às 6 horas da manhã, o Ferrari 268 SP dos irmãos Rodriguez, nessa altura na segunda posição atrás do 330 LM, parou com a transmissão partida. Prosseguindo no seu impulso iniciado em 1960, a Ferrari manteve o seu domínio implacável em Le Mans. Briggs Cunningham e Roy Salvadori, que fizeram os possíveis ao volante do seu Jaguar Type E privado, inscrito pelo primeiro dos dois, terminaram perto do pódio, e a Jaguar em primeiro e segundo da categoria GT. A Ferrari foi a única marca que inscreveu carros alistados na categoria Experimental. A Porsche, por seu lado, continuou na sua trajectória de espera em Le Mans nas pequenas cilindradas com o 356, que venceu na categoria 1301-1600 cc. Nos «pequenos» de 701 a 850 cc, o soberbo CD Panhard de André Guilhaudin e Alain Bertaut acabou na décima sexta posição da classificação geral, mas em primeiro na sua categoria com um pequeno motor flat twin capaz de lançar o conjunto ultraperfilado a cerca de 210 km/h na recta de Hunaudières. Voltando aos vencedoret esta seria a última vitória de um Ferrari de motor dianteiro, mas a Ferrari chegaria à quarta vitória no ano seguinte com o novo 250P de motor V12 de 3 litros. Tratou-se de um verdadeiro triunfo para a firma do Cavallino Rampante com seis automóveis nos seis primeiros lugares.

Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook