Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1976  1978 

A Renault alinhou com quatro Alpine A 442. A Mirage trocou o V8 Cosworth pelo V6 Turbo de Billancourt para contrariar os Porsche Turbo oficiais. Com os Inaltera e os De Cadenet na expectativa, a prova anunciava-se palpitante.
 

Depois da sua chegada oficial a Le Mans em 1975, a Renault estava verdadeiramente decidida chegar ao lugar mais alto do pódio de La Sarthe antes de se lançar definitivamente na Fórmula 1. Dedicou o começo do ano a estudos aprofundados com numerosos ensaios no circuito de Castellet, terreno de preparação ideal com a sua longa recta Mistral, duas curvas muito rápidas (os «esses» acentuados de Verrerie) e alguns troços bastante técnicos. No mês de Junho em La Sarthe, os quatro Alpine estavam mais afinados que nunca. Paralelamente, os motores Renault foram postos à prova em Indianápolis nos chassis Mirage e também demonstraram a sua grande fiabilidade. Mas os testes são uma coisa e uma prova é outra, tanto mais que as 24 Horas de Le Mans são tão exigentes para as máquinas como para os pilotos. Debaixo de chuva durante os treinos, o Porsche 935 de Stommelen deu nas vistas ao superar a barreira dos 350 km/h na recta de Hunaudières! Mas o sol regressou e os Alpine mostraram as suas pretensões colocando quatro automóveis entre os cinco primeiros, mas com o 936 de Ickx/Pescarolo no terceiro lugar o que era bastante inquietante para a Régie que conhecia bem a eficácia destes dois pilotos e do seu carro. Menos de três minutos depois da partida, o Alpine Renault de Pironi foi destruído por um incêndio. Foi nessa altura que se entrou numa espiral de abandonos ou de paragens nas boxes com os favoritos a seguir na peugada do 936 de Ickx/Pescarolo. No princípio da tarde, a Renault estava bastante animada com os seus três Alpine a escaparem, situando-se à frente de dois Mirage. Jacky Ickx, substituto do Porsche 936/77 nº 4, pôde regressar à corrida quando o carro se encontrava na 17ª posição. Dispensando a sua rendição e ganhando cerca de seis segundos por volta ao Aipine da liderança, Jacky mostrou-se verdadeiramente grandioso pois já era o segundo às sete horas da manhã. Durante esse tempo, os Renault sofreram múltiplas avarias: o nº 7 e o nº 9 abandonaram, enquanto o nº 8 perdeu mais de meia hora a trocar de caixa de velocidades. O último Renault em prova parou definitivamente ao meio-dia. Depois de 12 horas de pilotagem, o «Senhor Jacky» deixou os seus companheiros de equipa acabarem a corrida. Mas o Porsche entrou em agonia por avaria num pistão. No entanto, o avanço foi suficiente para acabar com um cilindro desligado enquanto a Renault salvou a sua honra ao colocar em segundo lugar o Mirage de Jarier//Schuppan. A história guardará Jacky Ickx como o verdadeiro herói desta edição de 1977.

Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook