Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1979  1981 

Foi uma alegria dupla para Jean Rondeau vencer pela primeira (e última) vez da sua carreíra de piloto e construtor as 24 Horas de Le Mans. E, para terminar em beleza, colocou dois dos seus M379 no pódio
 

Nunca antes de Jean Rondeau, e nunca mais depois dele, um piloto-construtor conseguira impor-se em Le Mans. Na box da equipa de Champagné, convinha não ser cardÍaco, pois os sustos não foram poucos. Três carros inscritos e uma verdadeira tripulação de ponta, a de Henri Pescarolo e Jean Ragnotti, que disputavam o Grupo Vl (tal como Jean-Pierre Jaussaud e Jean Rondeau), enquanto o terceiro carro seguia os ditames do regulamento da classe GTP. Menos de meia hora antes do fim dos treinos, o nº 16 ainda não conseguira classificar-se, por causa de uma sucessão incrÍvel de pequenas avarias. Convém saber que a mecânica utilizada desde quinta-feira não podia ser alterada antes de começar a corrida. Conseguiu classificar-se na quinta posição in extremis (3'49" para Jaussaud e 3'51" para Rondeau). O mais rápido nos treinos foi John Fitzpatrick com um tempo de 3'40"2, mas o seu Porsche 935 nº 2 só se conseguiu posicionar na segunda posição na grelha de partida. Os carros são colocados em função da média de tempos dos pilotos e Pescarolo//Ragnotti (3'44" e 3'46") fizeram melhor que Fitzpatrick, Redman (3'49") e Barbour (3'56"). Os Rondeau (cediam) mais de 100 CV aos melhores Porsche, mas eram muito mais fáceis de pilotar graças a um grande rigor na estabilidade, além de terem uma condução muito menos fatigante. O clima resolveu intervir com borrascas muito frequentes (como a que se abateu sobre o circuito meia hora antes da partida). Quando a chuva parou, Jacky Ickx passou a liderar a corrida, mas todos os Porsche (nenhum deles oficial) foram vítimas de contratempos diversos. O Rondeau nº 16 rodou regularmente, mas teve problemas no motor de arranque, quando Jean-Pierre Jaussaud, então na liderança, foi surpreendido por uma verdadeira maré de água que se formou depois de uma chuvada repentina. Com pneus slick, entrou em derrapagem três quartos de hora antes da chegada, conseguindo parar mesmo ao lado dos rarls. Foram necessários longos segundos para reanimar o V8 Cosworth, que acabou no mais alto degrau do pódio antes do Senhor Jacky lckx, o que ainda lhe aumenta o mérito. Para a pequena história, ficou a primeira vitória de um motor atmosférico desde 1975. A Marselhesa teve um sabor açucarado, pois além de celebrar uma vitória 100% francesa, também o fez para honrar dois franceses; a saber Jean Rondeau e o seu M379.

Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook