Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1981  1983 

Com três carros inscritos nos três primeiros lugares por ordem de número, a Porsche dominou a edição de 1982 das 24 Horas de Le Mans. Além disso, o primeiro automóvel que não pertencia à equipa Porsche ficou a mais de 600 km dos vencedores!
 

Nessa altura na liderança do campeonato do mundo de marcas, Rondeau regressou mais uma vez a Le Mans com o objectivo de arrancar o primeiro lugar da classificação geral e estabelecer deste modo definitivamente a sua empresa.

Além disso, ganhar a quinquagésima edição das 24 Horas de Le Mans constituiria também para a marca uma grande honra. Nota-se a presença de Yves Courage que faz a festa como construtor com o Ford-Cougar e o apoio da Primagaz. Mas nenhum deles contava com o sistema compressor posto em acção pela Porsche que fez alinhar três 956 oficiais, um carro completamente novo com motor boxer de 6 cilindros biturbo, 2.6 litros e arrefecimento líquido. Tinha a particularidade de ser o primeiro monobloco da marca alemã.

Também se assistiu nesse ano a um novo entusiasmo pela mais bela prova de resistência do mundo com cerca de vinte e cinco tipos de automóveis distintos e numerosos construtores a correr oficialmente. É preciso acrescentar que, com sete classificações diferentes (geral, Grupos C, 4 e 5, IMSA e GT, eficácia e energia), a esperança de brilhar era grande. No entanto, a marca de Stuttgart arrasou tudo com um pódio inédito na classificação geral que nunca mais se viu em La Sarthe: os carros nº 1,2 e 3 encontraram-se por esta ordem no pódio.

O começo da corrida foi, como era de esperar, dominado pela Porsche, apesar da Rondeau liderar a prova durante as três primeiras horas. Sabe-se que houve jogos obscuros com o limite dos depósitos nos 100 litros e que o número total de reabastecimentos não deveria superar os vinte e quatro. Antes de amanhecer, acabou o suspense: três Porsche 956 encontravam-se à frente (dois oficiais e o da Joest Racing), enquanto o Aston Martin Nimrod nº 32, que depressa se atrasaria, se encontrava a cinco voltas do terceiro 956. A fábrica alemã viu que não precisava de redobrar esforços e, mesmo com o abandono de Bob Wollek com a meta à vista, o nº 3 ocupou o seu lugar no pódio. Com seis Porsche entre os dez primeiros, a sexta vitória para Ickx, a terceira para Bell e segunda consecutiva para o duo, quem os poderia fazer pararl

Felizmente, em Le Mans, os anos seguem-se uns aos outros, mas raramente se assemelha


Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook