Resumo da corrida

Resumo da corrida

 1998  2000 

Mercedes e Le Mans, é uma velha história que deixou as suas marcas. Em 1999, as flechas de prata voltaram a arrumar as botas depois de dois voos de Weber e de um de Dumbreck.
 

Antes de mais o ano de 1999 foi verdadeirarnente um grande sucesso. Foi possível reunir todas as condições para fazer desta edição uma prova fora do comum. A Toyota dominou os treinos do mês de Maio, a BMW e a Panoz conseguiram surpreender e a Mercedes seguiu-lhes as pisadas. A Nissan mostrou um potencial interessante o mesmo aconteceu com a Audi que não deparou com quaisquer problemas com a vinda dos seus novíssimos R8. Mas foram os GT One que se mostraram mais eficazes no mês de Junho. No entanto, com dois acidentes (Boutsen e Brundle) e um furo com a meta à vista do n.º 3, o século xx não acabou com uma vitória japonesa em La Sarthe... Os Mercedes também não conseguiram festejar. Ao começo da noite, o espectro de 1955 resolveu aparecer mais uma vez com Peter Dumbreck a levantar voo a toda a velocidade no topo de uma lomba da Hunaudières diante das câmaras da televisão. O seu Mercedes CLR n.º 5 fez três loopings antes de se imobilizar sobre as quatro rodas no meio do descampado a cerca de 20 metros da pista. O espanto foi ainda maior já que o n.º 4 de Mark Webber passou por duas vezes pela mesma adversidade: na quinta-feira e durante o warm-up da manhã de sábado.

Com apenas alguns estragos no material, o sftaff da Mercedes resolveu recomeçar de novo. Pouco tempo depois do crash de Dumbreck, as flechas de prata entraram definitivamente nas boxes, felizmente sem quaisquer lesões de Weber ou do inglês.

À chegada, o V12 BMW venceu mais uma vez depois do sucesso McLaren, arrebatando assim o lugar que deveria logicamente pertencer aos protótipos no confronto com os GT. Alguns observadores destacaram os Audi R8R tão rápidos quanto fiáveis. O futuro iria comprovar que tinham razão para o fazer.


Lendas de Le Mans
Planeta de Agostini
Facebook